Cruzeiro tem 4ª melhor defesa das Séries A, B, C e D; veja ranking – Superesportes

Cruzeiro sofreu apenas três gols em nove partidas na Série B até aqui foto: Staff Images/Cruzeiro

Cruzeiro sofreu apenas três gols em nove partidas na Série B até aqui

Logo na primeira entrevista como técnico do Cruzeiro, Paulo Pezzolano expôs a prioridade: “Vamos para frente, sempre pensando na área do rival”. O estilo ofensivo proposto pelo uruguaio, porém, não é o ponto de maior destaque da boa campanha celeste na Série B. É a defesa que tanto tem chamado atenção.Em nove partidas na competição, o líder levou apenas três gols – média de 0,33 por jogo. É a melhor defesa da Segunda Divisão ao lado de Vasco e Sport e a quarta melhor dentre os 124 clubes participantes das Séries A, B, C e D.

Veja os melhores do ranking na galeria abaixo:

Bahia de Feira (Série D) - três gols sofridos em sete jogos (média de 0,42 por jogo) Bahia de Feira (Série D) – três gols sofridos em sete jogos (média de 0,42 por jogo) – foto: Divulgação América-RN (Série D) - três gols sofridos em sete jogos (média de 0,42 por jogo) América-RN (Série D) – três gols sofridos em sete jogos (média de 0,42 por jogo) – foto: Canindé Pereira/América FC Manaus (Série C) - três gols sofridos em oito jogos (média de 0,37 por jogo) Manaus (Série C) – três gols sofridos em oito jogos (média de 0,37 por jogo) – foto: Ismael Monteiro/Manaus FC Sport (Série B) - três gols sofridos em nove jogos (média de 0,33 por jogo) Sport (Série B) – três gols sofridos em nove jogos (média de 0,33 por jogo) – foto: Divulgação Vasco (Série B) - três gols sofridos em nove jogos (média de 0,33 por jogo) Vasco (Série B) – três gols sofridos em nove jogos (média de 0,33 por jogo) – foto: Daniel Ramalho/Vasco Cruzeiro (Série B) - três gols sofridos em nove jogos (média de 0,33 por jogo) Cruzeiro (Série B) – três gols sofridos em nove jogos (média de 0,33 por jogo) – foto: Staff Images/Cruzeiro Ceilândia (Série D) - dois gols sofridos em seis jogos (média de 0,33 por jogo) Ceilândia (Série D) – dois gols sofridos em seis jogos (média de 0,33 por jogo) – foto: Divulgação Retrô (Série D) - dois gols sofridos em sete jogos (média de 0,28 por jogo) Retrô (Série D) – dois gols sofridos em sete jogos (média de 0,28 por jogo) – foto: Divulgação Paraná (Série D) - um gol sofrido em sete jogos (média de 0,14 por jogo) Paraná (Série D) – um gol sofrido em sete jogos (média de 0,14 por jogo) – foto: Oscar Felipe/Paraná São Bernardo (Série D) - nenhum gol sofrido em sete jogos (média de 0 por jogo) São Bernardo (Série D) – nenhum gol sofrido em sete jogos (média de 0 por jogo) – foto: Gabriel Goto/São Bernardo Ver todas

Cruzeiro só levou três gols em nove jogos até aqui e está na lista

Apenas equipes da última divisão do futebol nacional têm defesas melhores que a do Cruzeiro até aqui (tanto em números absolutos, quanto em média). O São Bernardo não sofreu gols em sete partidas e lidera a lista. A seguir, aparecem Paraná (um gol sofrido e média de 0,14) e Retrô (dois gols sofridos e média de 0,28), que também jogaram sete vezes.Além de Cruzeiro, Sport e Vasco na Série B, também sofreram três gols neste início de competição o Manaus (Série C), o Bahia de Feira (D) e o América-RN (D). Na Série A, nenhuma equipe tem uma defesa com tão poucos gols levados. O melhor número é o do líder Palmeiras, vazado cinco vezes em nove rodadas.

Série do Cruzeiro

A grande fase do Cruzeiro se deve, em grande parte, aos ótimos números defensivos. O time celeste venceu as últimas sete partidas disputadas (seis pela Série B e uma pela Copa do Brasil), período em que não levou gol.A série expressiva da defesa fez o goleiro Rafael Cabral atingir uma marca expressiva. Com sete jogos seguidos sem levar gol, superou o histórico ex-goleiro Dida, ídolo do Cruzeiro, que ficou seis partidas consecutivas invicto em 1997.

Sistema defensivo

A melhora defensiva coincide com o estabelecimento do sistema com três zagueiros. O trio titular é formado por Zé Ivaldo pela direita, Oliveira centralizado e o capitão Eduardo Brock posicionado à esquerda.Mas, mesmo quando não contou com os três, o Cruzeiro foi bem. Na última sexta-feira, Zé Ivaldo cumpriu suspensão e foi substituído por Geovane Jesus. O time quase não sofreu defensivamente e venceu o Criciúma por 1 a 0, fora de casa.No próximo jogo, a defesa do Cruzeiro de Pezzolano será testada novamente. Desta vez, Oliveira e Geovane vão cumprir suspensão. O treinador tem como principais opções o jovem Pedrão, de 18 anos, e o volante Rômulo, que pode atuar improvisado.”Perdemos dois jogadores, o Zé Ivaldo volta. Temos que ver bem como estão os jogadores nesta semana, ver quem chega bem. Vamos colocar os que estiverem melhor no próximo jogo. Os jogadores e a equipe estão trabalhando bem para que qualquer um que entrar possa fazer um bom jogo”, disse Pezzolano.O adversário será o Operário-PR. As equipes se enfrentam a partir das 21h30 desta sexta-feira (3), no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, interior do Paraná. O Cruzeiro é líder da competição, com 22 pontos, enquanto os paranaenses estão em 7º, com 12.

Admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.